CAMINHÃO DE BRINCAR

Nas ruas das grandes cidades, quem nunca se deparou com algum automóvel velho e abandonado, com suas marcas de ferrugens, e usado, muitas vezes, até mesmo como lixeira clandestina? Na Brasilândia, distrito da periferia da Zona Norte de São Paulo, desde 2015 os moradores se deparavam com a presença de um caminhão com pneus furados, portas mal soldadas, ferrugens, além de sujeira acumulada. 

Mesmo perigoso, o caminhão se transformou em um ícone marcante na rua, sendo ponto de encontro de amigos nos dias ensolarados e lugar marcado nas brincadeiras entre as crianças. Transformou-se em uma alternativa mínima de lazer e distração para moradores de um dos distritos com menor acesso a aparelhos públicos de lazer da cidade, segundo o Mapa da Desigualdade de 2016.

Para mudar esta realidade, um grupo de moradores, a Preto Império e voluntárias se reuniram para uma tarefa audaciosa: transformar o velho automóvel em um “Caminhão de Brincar”. Mães, vizinhos e, claro, várias crianças, se reuniram para pensar, em coletivo, no que de fato o caminhão poderia se transformar. 

No primeiro encontro do grupo, as crianças não foram tímidas: túnel, escorregador, pula-pula, cozinha de brincadeira, rede de escalada, sala de leitura, lousas, cores, entre outras coisas, estão na lista de exigências. 

 

Um desafio grande para elas próprias e para os moradores que se mobilizaram para um grande mutirão realizado em julho de 2019, entre eles, marceneiro, arquitetas, serralheiro, permacultor e designers.

 Mães, vizinhos e, claro, várias crianças, se reuniram para pensar, em coletivo, no que de fato um caminhão abandonado na rua poderia se transformar.

O dia de mutirão foi cheio, contou com a cobertura de dois canais de televisão: RedeTV e SPTV da Rede Globo.

NA MÍDIA